Subscreva a nossa Newsletter
Pesquisar
home > Manuais de Gestão > Recursos Humanos

Como remunerar os quadros superiores da sua empresa

Índice

Introdução
Quantifique as remunerações gerais
Escolha as recompensas para os quadros superiores
Prós e contras das stock options
Prós e contras das phantom shares


Introdução

O grau de exigência a que um administrador, presidente ou director geral de uma empresa estão sujeitos exige que tenham um sistema de remunerações diferente do dos restantes gestores e profissionais da organização. Eles têm que ser simultaneamente líderes de pessoas, agentes de mudança e bons comunicadores. E têm que responder directamente perante os accionistas que os nomearam, que ao nível dos resultados gerados, quer pelas suas perspectivas de crescimento a médio e longo prazos. Logo, quanto maior for o risco do negócio, maiores serão também as remunerações que exigirá para assumir as responsabilidades do cargo.

A elevada taxa de rotatividade dos executivos de topo é outra, se não a principal, razão pela qual as empresas estão a criar pacotes de remunerações específicos para esses cargos. Ao aumentar a atractividade da permanência numa posição de topo, as empresas conseguem reter durante mais tempo os seus executivos de topo. Estes têm um pacote de remunerações que é, em regra, mais diversificados do que o de qualquer outro empregado da empresa sendo constituído por duas grandes parcelas: as remunerações partilhadas pelos restantes empregados da empresa e as recompensas específicas para os executivos de topo


Quantifique as remunerações gerais

Visam remunerar o exercício corrente da sua actividade, o nível de desempenho individual e o cumprimento dos objectivos. São remunerações atribuídas a todos os empregados da empresa (salário, por exemplo) ou a determinadas classes profissionais (comissões de vendas, por exemplo). Normalmente são recompensas em dinheiro, cujo montante deverá estar definido de acordo com o cargo ocupado na hierarquia. Esta parcela de remuneração inclui:


Escolha as recompensas para os quadros superiores

A segunda (e mais importante) componente do plano de remunerações dos executivos de topo tem dois objectivos fundamentais: distinguir os executivos de topo através de prémios que reforçam a sua auto-estima, retê-los a médio e longo prazo e associar a remuneração ao desempenho individual e à evolução dos resultados do negócio. Inclui as seguintes modalidades de incentivos:


Prós e contras das stock options

Os planos de stock options são um tipo de remuneração muito frequente hoje em dia, que se alargaram também aos níveis mais baixos da hierarquia das empresas cotadas em bolsa. Porém, nas indústrias mais tradicionais, continuam a ser um plano de remuneração dos executivos de topo. São prémios aliciantes, mas também muito arriscados. As suas principais vantagens e inconvenientes são apresentadas em seguida:

Vantagens

Desvantagens


Prós e contras das phantom shares

As «acções fantasma» (phantom shares) são utilizadas em empresas não cotadas em bolsa. Não são tão frequentes quanto as stock options, mas funcionam nos mesmos moldes, com uma grande vantagem: não provocam a dispersão do capital. Eis as suas outras vantagens e inconvenientes:

Vantagens

Desvantagens

Glossário Bibliografia Referências

Autor: Portal Executivo