Subscreva a nossa Newsletter
Pesquisar
home > Manuais de Gestão > Planeamento e estratégia

Como preparar a internacionalização da sua empresa

Índice

Introdução
Passo 1 - Analise as condições da sua empresa e do mercado
Passo 2 - Formule a estratégia de internacionalização
As vantagens da internacionalização
Como superar as barreiras à entrada


Introdução

A tendência para a crescente globalização da concorrência e dos mercados, o número cada vez mais vasto de sectores e de actividades e a explosão da Internet fazem com que a internacionalização faça parte integrante das preocupações estratégicas das empresas. Na nova envolvente internacional, elas são obrigadas a enfrentar novos desafios, porque a internacionalização já não é essencialmente uma questão de conquista de novos mercados, mas um desafio para a globalização das funções das organizações.

Para que todo o mecanismo funcione eficazmente, é necessário preparar a internacionalização da sua empresa e definir com clareza uma estratégia sustentável. Eis as suas principais etapas.


Passo 1 - Analise as condições da sua empresa e do mercado

Que aspectos deverá abranger a estratégia de internacionalização da sua empresa? Que amplitude é que ela poderá atingir? Que funções poderá abarcar? Que tipo de decisões é que irão decorrer dela? As respostas a estas e a outras questões pertinentes numa fase pré-internacionalização serão dadas nas seguintes etapas.

Analise a estratégia global da empresa a longo prazo

É um elemento determinante da estratégia de internacionalização, que está ligado a três factores:

Identificação das oportunidades e ameaças internacionais

É importante montar um sistema de vigilância a nível internacional, de forma a poder eliminar à partida os espaços geográficos internacionais que não tenham potencial de expansão ou nos quais a concorrência já domine o mercado. É uma fase complexa, em que deve fazer uma análise do ambiente concorrencial internacional, que incluirá os seguintes elementos:

Diagnóstico internacional dos pontos fortes e fracos da empresa

Visa avaliar os recursos e as lacunas da empresa tendo em vista a sua internacionalização. Há três níveis de diagnóstico:


Passo 2 - Formule a estratégia de internacionalização

Diagnosticada a situação, é então delineada a estratégia e tomadas as três decisões mais importantes do processo. São elas:

Definir as grandes opções da empresa no plano internacional

Consiste em definir as prioridades, em termos de produtos e de actividades, os objectivos qualitativos e quantitativos a atingir e o horizonte temporal da estratégia de internacionalização. Nesta fase, há que ter em conta o ciclo de vida do produto, o grau de acessibilidade do mercado, o montante de investimento a fazer e o período de tempo até atingir o break-even (ponto morto de vendas).

Seleccionar as localizações possíveis

São as prioridades geográficas para as quais a empresa irá orientar a comercialização e fabrico dos seus produtos ou expandir as suas funções de apoio. Nesta fase, faz-se a triagem das localizações através da comparação dos elementos de atracção das diversas alternativas e hierarquização das preferências, combinados com os trunfos que poderão valorizar a empresa nos vários locais. Pode utilizar uma grelha de comparação de atractivos em vários países, usando critérios como o potencial de mercado, a sensibilidade aos preços, o acesso a canais de distribuição e a qualidade dos intermediários.

Determinar as formas de abordagem adequadas

Inclui a tomada de decisões relativas às formas de entrada em cada uma das localizações alvo - através, por exemplo, de parcerias com as empresas locais ou de uma estratégia de conquista de terreno aos concorrentes - e às pressões relacionadas com a coordenação organizacional. As decisões mais importantes são relativas a:


As vantagens da internacionalização

A estratégia de internacionalização articula-se em torno de cinco dimensões principais que convergem para os objectivos do crescimento da empresa e da poupança de custos à escala mundial:

Fortalecimento da posição comercial

A ocupação de posições comerciais fortes, ou até dominantes, nos principais mercados mundiais, permite maximizar o volume de vendas e beneficiar de economias de escala e de experiência.

Normalização de processos

Fazer com que o produto seja igual no seu país de origem e em qualquer outro mercado internacional permite potenciar as vantagens do efeito de experiência.

Localização dos elementos da cadeia de valor

Uma empresa que internacionaliza a sua actividade pode localizar os vários elementos da sua cadeia de valor - investigação e desenvolvimento, produção, montagem final e distribuição - onde for mais vantajoso para si e onde tiver um maior número de recursos essenciais ao seu funcionamento.

Facilidade do posicionamento

A uniformidade das estratégias, de marketing, de produção, etc., aumenta a facilidade na definição do posicionamento.

Obtenção de sinergias

Maior número de sinergias, nomeadamente a nível da criação de parcerias internacionais, obtenção de licenças, aproveitamento de canais de distribuição internacionais, entre outros, conseguidas através da grande interdependência e maior cooperação entre as diversas localizações mundiais.


Como superar as barreiras à entrada

Atente aos principais obstáculos com que deparará na sua entrada nos mercados além-fronteiras:

Barreiras administrativas e legais

Obrigam, por exemplo, as empresas a adaptar os seus produtos e serviços às regulamentações locais. A própria localização está condicionada pela concessão de licenças por parte da administração pública. Os regimes fiscais diferem de país para país, consoante o tipo de empresa e de actividade exercida.

Práticas profissionais diferentes

Apesar das inúmeras tentativas de globalização das práticas profissionais, a cultura de cada país reflecte-se profundamente na cultura das organizações e nos métodos de trabalho das pessoas.

Heterogeneidade dos gostos e costumes locais

Os consumidores de diferentes países têm necessidades e comportamentos distintos, o que limita a oferta das empresas e aumenta os seus custos de adaptação dos produtos e serviços à nova envolvente.

Diferentes canais de distribuição e sistemas de logística

Os sectores da grande distribuição são os mais afectados porque se falharem os meios de distribuição dos seus produtos, toda a sua actividade poderá correr sérios riscos.

Características físicas dos produtos

Os produtos de carácter perecível não podem percorrer grandes distâncias, o que força determinadas indústrias a construir infra-estruturas produtivas de base perto das zonas de comercialização internacionais, aumentando consideravelmente os custos de entrada no mercado.

Glossário Bibliografia

Autor: Portal Executivo