Subscreva a nossa Newsletter
Pesquisar
home > Manuais de Gestão > Planeamento e estratégia

Como organizar um processo de planeamento estratégico

Índice

Introdução
Planeamento estratégico empresarial
Processo de planeamento estratégico das unidades de negócio


Introdução

Planeamento estratégico é o processo que fixa as grandes orientações que permitem às empresas modificar, melhorar ou fortalecer a sua posição face à concorrência. É uma ferramenta de apoio à gestão com vista ao desenvolvimento futuro da empresa, especificando a forma e os timings de execução.

É a direcção central que tem a responsabilidade de definir e pôr em prática todo o processo de planeamento. Ao definir as linhas de orientação gerais relativamente à missão, política e estratégia empresariais, estabelece as bases sobre as quais cada unidade de negócios individual delineará o seu próprio plano de negócios. A autonomia das unidades de negócios depende da própria cultura organizacional: umas empresas dão liberdade a cada divisão para estabelecer as suas próprias estratégias e objectivos de vendas e lucros; outras estabelecem os objectivos mas deixam ao critério das unidades a definição da estratégia; outras ainda, definem os objectivos e envolvem-se directamente na concepção das estratégias individuais.

Em qualquer caso, o planeamento estratégico será definido a dois níveis: pela empresa mãe - planeamento estratégico empresarial - e, posteriormente, por cada unidade de negócios - planeamento estratégico das unidades de negócio (nota: as empresas com apenas uma unidade de negócio terão que integrar ambos os processos). Os processos são diferentes, como poderemos constatar em seguida.


Planeamento estratégico empresarial

Cabe à direcção central fazer o planeamento estratégico global de toda a organização. Este processo inclui as quatro fases ilustradas na figura seguinte.

Imagem

Fase 1: Definição da missão empresarial

Todas as empresas têm uma missão, ou seja, algo que pretendem atingir ao longo da sua vida e que deve ficar clara desde o início. E deve servir como forma de motivação dos empregados. Ao longo do tempo, a missão pode ter que ser alterada, por ter perdido a sua relevância face às novas condições da envolvente empresarial.

A missão deverá definir uma visão e o rumo para os próximos 10 a 20 anos da empresa, tendo em conta:

Fase 2: Identificação das unidades de negócios estratégicas

A maioria das empresas, mesmo as mais pequenas, operam em diversos negócios. Mas estes poderão nem sempre ser claros: uma empresa com 12 divisões, por exemplo, não tem necessariamente 12 negócios. Uma divisão pode incluir, por exemplo, dois ou três negócios distintos. Por isso, é importante que a empresa-mãe defina todos os negócios para que cada um deles possa ser gerido como uma unidade individual com uma estratégia própria.

Fase 3: Análise do portfolio e da estratégia das unidades de negócio

O objectivo da identificação das unidades de negócio é a definição de objectivos estratégicos e de um montante de investimento apropriado a cada uma delas. Para tal, a empresa-mãe tem que analisar o plano de negócios de cada unidade, decidindo posteriormente quais serão mantidas, quais necessitam de maior investimento e quais é que desaparecerão. Para tal, os gestores de topo terão que conhecer o seu portfolio de negócios e avaliar o seu potencial futuro.

Uma ferramenta analítica normalmente utilizada para avaliar o potencial dos negócios é a matriz BCG (criada pelo Boston Consulting Group), representada na figura seguinte:

Imagem
As empresas são representadas por círculos (cujos diâmetros representam a sua dimensão) num gráfico a duas dimensões - o eixo da abcissas (XX) avalia a quota de mercado e o eixo das ordenadas (YY) a taxa de crescimento potencial - dividido em quatro quadrantes com as designações seguintes:

Fase 4 - Novo plano de negócios empresarial

Os planos da empresa para os seus negócios permitirão aumentar as suas vendas e a rentabilidade. Ela terá três alternativas de crescimento:


Processo de planeamento estratégico das unidades de negócio

Tendo como ponto de partida o planeamento estratégico definido pela empresa-mãe, cada unidade de negócios define o seu próprio planeamento estratégico, que se resume nas fases da figura seguinte:

Imagem

Fase 1 - Definição da missão do negócio

Cada unidade de negócios define a sua missão para o futuro, enquadrada na missão mais global da empresa. Deverá definir os objectivos e políticas das unidades.

Fase 2 - Análise SWOT

Consiste na identificação dos pontos fortes (strenghts) e fracos (weaknesses) da empresa e das oportunidades (opportunities) e ameaças (threats) do mercado.

Fase 3 - Definição dos objectivos

Depois de ter determinado a sua missão e analisado as suas envolventes externa e interna, a unidade de negócios deverá definir os objectivos que pretende atingir. Estes poderão incluir: o aumento da rentabilidade, o crescimento das vendas, o aumento da quota de mercado e o aumento do ritmo de inovação, entre outros.

Fase 4 - Formulação da estratégia

Os objectivos dizem o que é que a empresa quer atingir; a estratégia indica como é que o poderá fazer. Michael Porter identificou três tipos genéricos de estratégia, que são bons pontos de partida para o pensamento estratégico:

Fase 5 - Implementação

Mesmo com uma estratégia bem definida, as empresas podem falhar na implementação. A consultora McKinsey define os sete elementos chave de uma estratégia de sucesso: estratégia, estrutura da empresa e sistemas/infra-estruturas de apoio, estilo de gestão, qualidade dos recursos humanos, qualificação do pessoal e cultura organizacional.

Fase 6 - Controlo

Assim que se inicia a implementação da estratégia, é necessário ir controlando a sua evolução e verificar se os resultados reais não têm grandes desvios relativamente aos objectivos previstos. A unidade de negócios também deverá estar preparada para fazer quaisquer tipos de ajustes ao processo de planeamento se constatar que serão necessários para cumprir os seus objectivos.

Bibliografia Referências

Autor: Portal Executivo