Subscreva a nossa Newsletter
Pesquisar
home > Manuais de Gestão > Informática e Telecomunicações

Como registar um domínio em Portugal

Índice

Introdução
Passo 1 - A opção por domínios nacionais e internacionais
Passo 2 - Escolha o nome adequado e registe a marca
Passo 3 - O processo de registo
Passo 4 - Procure o apoio do ISP
Passo 5 - Acompanhe os passos de registo e formalização burocrática

Introdução

A fase em que se media a importância de uma empresa pela possibilidade de ter uma página online e um domínio registado já passou. Agora estes requisitos entraram na lista dos bens essenciais, como um número de telefone e uma morada.

Ao mesmo tempo que se tornou fundamental, a criação de uma presença na Net está mais fácil porque todos os fornecedores de acesso à Internet simplificaram a linguagem e o atendimento a clientes que não são técnicos de informática.

Existe, porém, alguma metodologia que deve ser observada para que o processo decorra sem sobressaltos e resulte na obtenção do nome de domínio mais adequado às necessidades da empresa.

 

Passo 1 - A opção por domínios nacionais e internacionais

Discussões sobre as vantagens e desvantagens de registar os endereços de Internet em domínios de topo internacionais ou do país fizeram correr muita "tinta" na Internet.

Não vale a pena retomar as discussões, mas ficam alguns possíveis argumentos: Algumas empresas têm optado também por jogar com terminações de domínio de topo de alguns países, como o .tv do Tuvalu e o .pn da ilha de Pitcaim, enquanto outras pagaram milhões de dólares a cybersquatters - pessoas ou entidades que se especializaram a registar nomes de domínios e exigir "recompensas" elevadas para os cederem.

O aconselhável, embora mais caro, é registar uma marca ou empresa nos vários domínios de topo nacionais e internacionais, evitando assim que alguém ocupe esse domínio e possa ser confundido com a sua empresa ou marca e que os possíveis visitantes acabem por ir parar à concorrência. Se conseguir registar o endereço em vários domínios é depois tecnicamente fácil redireccionar o tráfego para a mesma página sem perder os visitantes.

Passo 2 - Escolha o nome adequado e registe a marca

Adoptar um nome curto, relacionado com a actividade da empresa e não criptográfico - como um nome todo em siglas - é um dos bons conselhos que se podem dar a que vai registar uma nova empresa ou marca. Este conselho acaba por não ser muito fácil de cumprir, porque parece que os melhores nomes já estão tomados. O mesmo se aplica aos nomes de domínios.

Não atribua, porém, demasiada importância ao nome. O sucesso ou insucesso da presença na Net acaba por depender de outros factores, como a capacidade de divulgação ou a forma como é apresentado aos possíveis clientes e a qualidade do serviço. Marcas como a Amazon, que nada tem originalmente a ver com venda de livros, tornaram-se casos de sucesso, enquanto que outras como a eToys, dedicada à venda de produtos para crianças, acabaram por ver os seus negócios tornarem-se rotundos falhanços.

Visto que a apresentação de registo de empresa ou de marca é essencial para obter um domínio em .pt, o primeiro passo depois de escolher o nome certo é registá-lo, um processo diferente para cada um dos casos: Consoante as situações, para o registo de um domínio em .pt é necessário apresentar o pedido de registo de marca, ou uma cópia do cartão de identificação de pessoa colectiva que pode ser substituída pela cópia da publicação no Diário da República.

 

Passo 3 - O processo de registo

Como registar um domínio em .pt

Desde Fevereiro de 2001 existem em Portugal oito novos sub-domínios classificadores, administrados pela Fundação para a Computação Nacional (FCCN) que ajudam a organizar a presença na Internet por tipos de empresas. Estes sub-domínios - .gov.pt; .int.pt; .net.pt; .publ.pt; .org.pt; .nome.pt; .edu.pt; .com.pt - não têm tido muita adesão da parte das empresas portuguesas, distinguindo-se o .com.pt,que tem regras mais flexíveis. O tradicional .pt continua porém a crescer, tendo já ultrapassado os 20 mil domínios registados.

As regras para registar um domínio em .pt são: Aos registos em .com.pt não se impõem quaisquer restrições, excepto as regras em relação aos nomes atrás explicadas.

O registo de domínio exige um pagamento inicial ou de submissão de 29 euros que é essencial para fazer o registo já que a FCCN pede o comprovativo de pagamento. Existe depois um pagamento de dois em dois anos no valor de 58 euros cuja primeira liquidação deve ocorrer 30 dias após o registo do domínio.

As subscrições no sub-domínio .com.pt está apenas sujeito a um pagamento de manutenção bienal de 58 euros que deve ser paga antes do registo.

Como registar um domínio internacional

Existem várias entidades certificadas pelo ICANN para poderem fazer registos nos domínios de topo .com, .org e .net, além dos .info e .biz que estarão em breve disponíveis ao público. Na página da InterNIC pode ver a lista de empresas que podem prestar este serviço, tendo em atenção que os preços de registo diferem entre eles, pelo que é aconselhável visitar vários e procurar as melhores ofertas, já que os preços vão dos 20 aos 40 dólares.

As regras mais liberais nos registos de domínios de topo permitem evitar burocracias, pelo que muitas empresas oferecem o registo em poucos cliques: escolhe o domínio, verifica se não está já registado (se estiver é oferecida uma série de nomes semelhantes que estão livres) e paga. Tem de dar alguns dados contactos e informação técnica e o nome escolhido tem de estar dentro dos caracteres válidos, até 67, sendo considerados inválidos o conjunto.

 

Passo 4 - Procure o apoio do ISP

Todos os processos de registo nacionais podem ser tratados directamente com a FCCN, e os internacionais nos sites das empresas autorizadas, mas como provavelmente irá recorrer a um fornecedor de serviços de alojamento, ou ISP, para alojar o site, pode entregar esse trabalho a essa empresa.

O registo de domínio e alojamento das páginas fazem parte dos pacotes dos vários ISPs, embora com pequenas diferenças entre eles. Algumas das ofertas são, resumidamente:

Passo 5 - Acompanhe os passos de registo e formalização burocrática

Mesmo que opte por entregar o registo a um fornecedor de serviço de Internet, o melhor é manter-se a par do processo, contactando regulamente com os serviços de apoio para verificar se está tudo em ordem. Por vezes quando falta algum documento o processo pode ser colocado no cesto dos incompletos à espera de tempo ou de oportunidade de contactar um cliente, o que atrasa tudo.

Se tiver decidido registar o domínio em .pt seja rápido a entregar toda a documentação pretendida, ou o processo poderá arrastar-se. No fim, verifique atentamente a factura para que não existam erros de cobrança de serviços não fornecidos.

Depois do processo completo é a vez de tratar de elaborar, ou mandar elaborar, o site, mas isso será assunto para outro manual.

  Glossário   Bibliografia   Referências

Autor: Fátima Caçador / Casa dos Bits