Subscreva a nossa Newsletter
Pesquisar
home > Manuais de Gestão > Informática e Telecomunicações

Como posicionar o seu site nos motores de busca

Índice

Introdução
Passo 1 - Determine o tipo de visitantes que quer atrair
Passo 2 - Escolha entre o método manual ou automático
Passo 3 - As ferramentas de software de apoio
Passo 4 - Os registos nos motores de busca nacionais
Conselhos úteis

Introdução

Levar os cibervisitantes ao site de uma empresa é um dos grandes desafios do marketing da era da Internet. A publicidade, promoção, troca de banners e de hiperligações são alguns dos métodos usados, mas mais simples e mais barato é garantir uma boa colocação nas respostas a pesquisa por palavra nos motores de busca.

Os estudos provam que mais de 70 por cento dos acessos a um site de Internet são iniciados a partir dos principais motores de busca e é fundamental que, perante os biliões de páginas que actualmente estão online, o seu site fique posicionado entre os 10 a 20 primeiros resultados na pesquisa pelo termo ou nome que melhor define o seu negócio. Para o conseguir existem vários métodos possíveis, mas o primeiro passo é determinar qual o tipo de visitantes que quer atrair.

Passo 1 - Determine o tipo de visitantes que quer atrair

O tipo de site, o âmbito nacional ou internacional e o objectivo de comércio, promoção ou institucional são factores que influenciam o tipo de público que interessa levar à página. Uma pequena empresa que não deseja realizar negócios com parceiros internacionais e que mantém apenas um site institucional não deve preocupar-se em registar o seu endereço nos milhares de motores de busca existentes. Mas, se a empresa se chama ADCDEF, ou vende um produto com esse nome, certamente que lhe agrada que numa pesquisa a página apareça entre os primeiros resultados apresentados.

Os factores determinantes da escolha a fazer são: Ainda assim, os motores de busca mais importantes não devem ser nunca ignorados, seja qual for o tipo ou âmbito do seu site. Os motores de busca nacionais são, naturalmente imprescindíveis, sobretudo o AEIOU, Terravista e SAPO. Nos pesquisadores internacionais ficam os mais importantes, considerados pelo maior número de visitantes mas também pela dimensão de páginas registadas, (por ordem alfabética): AltaVista; Ask Jeeves; Excite; FAST Search; Google; Inktomi; Lycos; Northern Light; Yahoo. Os motores de busca especializados dependem da área de especialização, de computador, de newsgroups, de informação médica, legal e científica, entre outras. No site Search Engine Watch pode encontrar diversas listas de motores de busca temáticos.

Passo 2 - Escolha entre o método manual ou automático

Depois de escolhido o tipo de visitantes a atrair é preciso decidir como realizar o trabalho. As opções são entre fazer os registos um a um em cada motor de busca ou usar uma aplicação que de uma forma automática se encarregue de inscrever a sua página em vários sites. Claro que a escolha pelo método manual fica fora de causa se optou por um âmbito alargado de visitantes, mas é uma hipótese razoavelmente realizável se determinou que os principais motores de busca internacionais e portugueses são suficientes.

  A forma de registo depende também do modo de funcionamento dos motores de busca. Existem diferentes tipos de pesquisadores, os directórios e os crawlers e enquanto os primeiros utilizam o método manual para inscrever os sites, os segundos têm pequenas aplicações de software que percorrem sistematicamente os endereços de Internet à procura de páginas novas e fazem automaticamente o seu registo. Dois exemplos de diferentes métodos de indexar páginas eram o Yahoo!, um indexador, e o Google, um crawler, mas actualmente a tendência é para misturar as duas técnicas.

Assim, a maior parte dos motores de busca aceita registos ao mesmo tempo que utiliza sistemas inteligentes que percorrem a Internet à procura de nova informação, visitando alguns apenas os sites "conhecidos" por registos prévios para os actualizar.

Passo 3 - As ferramentas de software de apoio

Diversas empresas desenvolveram formas de realizar registos automáticos e existem algumas com utilização gratuita para um número limitado de motores de busca ou durante um tempo determinado. É preciso verificar que as versões freeware devem ser consideradas quase de teste, já que não é só o número de pesquisadores que interessa, mas também quais os motores de busca que escolhe e naturalmente nestas versões o alcance de importância também é menor.

Algumas das aplicações disponíveis são:

Apesar de vantajosa, a utilização destas aplicações tem algumas limitações, nomeadamente o facto de não garantirem a inscrição em nenhum motor de busca português.

Passo 4 - Os registos nos motores de busca nacionais

O método manual é o mais aconselhável para o registo nos motores de busca portugueses, onde a inscrição de qualquer site de empresas que funcionem em Portugal é fundamental. O método usado pelos principais pesquisadores portugueses é diferente:

Conselhos úteis

Se optar por fazer todos os registos manualmente, siga algumas recomendações para não errar na escolha das melhores formas de posicionar o seu site: A inscrição de um site nos motores de busca é apenas um dos passos que determina o seu sucesso. Outros factores não podem ser descurados, como formas de marketing que podem incluir também a aquisição de um posicionamento destacado em alguns dos motores de busca. O Altavista, o Excite e o Google, entre outros, já começaram a fazer este tipo de promoção que mediante a compra de palavras-chave destaca a informação relativa a um determinado cliente.

Glossário Referências

Autor: Fátima Caçador / Casa dos Bits