Subscreva a nossa Newsletter
Pesquisar
home > Manuais de Gestão > Administrativo e Economato

Como elaborar uma carta comercial com eficácia

Índice

Introdução
Passo 1 - Escolher a linguagem correcta de uma carta
Passo 2 - Estruturar a carta
Passo 3 - Escrever a carta
Passo 4 - Escolher o papel apropriado
Passo 5 - Preencher o envelope
Passo 6 - Dobrar e inserir a carta no envelope
Ponto 7 - Avaliar a eficácia económica de uma carta

Introdução

As empresas recebem diariamente dezenas de cartas e conseguir que a nossa correspondência, em particular, atinja o alvo definido não é uma tarefa tão fácil como se poderia pensar à primeira vista. É preciso captar a atenção e, por isso, a criatividade é um dos elementos-chave que não deve ser descurado. Está provado que uma elevada percentagem das cartas recebidas pelas organizações nem chega a ser lida. Na maioria dos casos, o esforço, tempo e dinheiro despendido acaba por não corresponder ao objectivo pretendido. A feroz concorrência que domina actualmente o mercado obriga a uma originalidade na apresentação e na linguagem de forma a captar a atenção do destinatário.

 

Passo 1 - Escolher a linguagem correcta de uma carta

O que deve fazer

O tom utilizado numa mensagem comercial deve ser: Além disso, é indispensável: E é correcto escrever: Não se esqueça de usar a pontuação para dar força às ideias.

Recorde ainda uma ideia-chave a não esquecer: O tom de escrita deve soar positivo e confiante. O leitor deve sentir-se motivado com a mensagem transmitida para que sinta vontade de o contactar em seguida para o conhecer melhor e aos pormenores do projecto que pretende expor.

O que não deve fazer

Evite a utilização de expressões qualificativas tais como: atenta, amável, grato, cordiais e sinceros. O interlocutor poderá pensar que o está a adular para obter qualquer coisa;

Evite o uso frequente do gerúndio, um erro frequente na linguagem comercial; assim é incorrecto escrever: Para que uma carta ganhe eficácia deverá ter o cuidado de não cair nos seguintes erros:

Passo 2 - Estruturar a carta


Passo 3 - Escrever a carta


Passo 4 - Escolher o papel apropriado

Sempre que alguém abre o correio depara com uma infinidade de envelopes de todas as cores e feitios: papel grosseiro, de qualidade, amarelo, branco, acinzentado ou cinzento pérola com um papel de excelente qualidade. Provavelmente, será este último a ser aberto em primeiro lugar. O objectivo de um papel de qualidade é diferenciar a sua correspondência da dos concorrentes. O destino de grande parte dos sobrescritos com papel de baixa qualidade é o lixo sem sequer serem abertos.

Na escolha do papel verifique se é fabricado exclusivamente com madeira e com uma textura desagradável. Neste caso, está perante um papel de fraca qualidade. Se o papel tiver uma elevada percentagem de pano na sua composição, então trata-se do tipo mais adequado para o seu mailing.

Quando escolher o papel dê atenção os seguintes aspectos:

Passo 5 - Preencher o envelope

O preenchimento do envelope também está sujeito a certas regras: Não se esqueça de verificar se o nome e função da pessoa a quem dirige a correspondência estão correctos. É muito desagradável e perde impacto qualquer carta que contenha um erro desta natureza.

Passo 6 - Dobrar e inserir a carta no envelope


Ponto 7 - Avaliar a eficácia económica de uma carta

Uma carta elaborada para promover um novo produto ou serviço é, geralmente, enviada a um número significativo de potenciais clientes, ultrapassando muitas vezes a centena. Para avaliar se um mailing teve ou não o efeito pretendido deverá: Se as receitas compensarem os custos, então a mensagem da carta foi eficaz e o método poderá ser aplicado em futuros mailings. Caso contrário, será necessário repensar o conteúdo da mensagem, a linguagem utilizada e a apresentação gráfica da carta.

  Bibliografia   Referências

Autor: PME Negócios